22/02/2020

º De dentro do carro...º



Saindo de uma grande rodovia, onde tudo é pressa, barulho, correrias e movimento,de repente, tomamos um atalho de acesso, estrada vazia...

Que paz! Que tranquilidade! Que bom sentir isso!

Florestas a ladeiam, passam carros, todos com o mesmo destino...Chegar ao mar...

Naquela hora, uma chuvinha fininha, a deixava molhada...

Apesar do cinza, não se podia deixar de perceber essa carreta puxada por velhos bois, carregada de feno se dirigindo para algum lugar onde toda carga tinha já destino certo...

Assim, é na vida...

Passamos pelas suas "estradas", uns com muita pressa, outros lentamente...

Uns sabem onde vão chegar, levam a bagagem certa...Outros, apenas carregam...

Bom é poder ter a diversidade de olhares, entre o que nos aflige, como o das rodovias agitadas e perigosas, sabendo que a qualquer hora, podemos encontrar os "atalhos" que nos restituem a paz...

E o que é melhor ainda, ela pode estar dentro de nós e é ela, que nos faz perceber no paradoxo, movimento/calmaria, o veículo passando lentamente, deixando a cena mais linda ainda...

Assim, de dentro do carro, que poderia significar a velocidade e pressa, podemos retratar a carreta, que significa a paz, tranquilidade em um mesmo momento...

Que saibamos encontrar tais atalhos...

Que possamos ver e perceber o que pode nos dar a paz!

chica

14/02/2020

º Brincando,falando sério... º




Está havendo por aí
um problema muito danado
nas escolas tá deixando
todos os pais preocupados!

Aparece um "amiguinho"
dizendo isso e aquilo
te chamando de gordinho
ou de dente de esquilo.

Depois promete te bater
se contares pra alguém
diz que nunca paz vais ter
e que fiques quieto,pro teu bem!

Não te deixa nem brincar
com a turminha escolhida
fica sempre a te chatear
incomodando a tua vida!

Quando isso acontecer
conta logo à professora,
os pais devem sempre saber
para ir falar com a diretora!

Eles são muito briguentos
fazem sempre muito mal
no fundo,são uns nojentos ,
isso NÃO PODE SER NORMAL!

Sem nenhum motivo bate,
se achando "o tal" da escola
não sabe o perigo que corre
se vovó entra lá "de patrola"...rsss...

Não te aquiete,conte tudo
o que por lá acontecer
esse problema é sério
NÃO PODE ACONTECER!!!


* Nota: esse texto é infantil, numa forma de alerta para as crianças.

Porém aqui,onde todos somos adultos, dá pra falar claramente!

Cada vez mais temos que nos preocupar com os monstros que andam soltos . Isso é o fim da picada!!!

As brincadeiras sadias são substituídas por grosserias. Por aqui, no Brasil, andam acontecendo "brincadeiras"  ridículas em que dois amigos derrubam um terceiro. Até uma morte já aconteceu.
Até quando isso?

Alertar colégios, alunos, pais e avós  é preciso!  E nunca esquecer que AMIGO QUE É AMIGO, NÃO DERRUBA. AJUDA A LEVANTAR!!!

As aulas estão recomeçando e desejo a todos estudantes que possam ir para escola para aprender, fazer amigos, conviver e aproveitar  respeitando os professores!

bjs, chica


05/02/2020

º Um texto pra refletir... º



Compartilho aqui um trecho que li e gostei ,de um médico daqui de P.Alegre, J.J.Camargo que nos encanta sempre... 
Destaco hoje a citação que ele traz..na Z.Hora do dia 4 janeiro/2020,nesse texto de Leo Buscaglia. 
Acredito que todos irão gostar, lendo calmamente...



“... A folha se descobriu a perder a cor, a ficar cada vez mais frágil. Havia sempre frio, e a neve pesava sobre ela. E quando amanheceu, veio o vento, e arrancou a folha de seu galho. Não doeu. Ela sentiu que flutuava no ar, muito calma e tranquila.

E, enquanto caía, ela viu a árvore inteira, pela primeira vez.

Como era forte e firme! Teve certeza de que a árvore viveria por muito tempo, e compreendeu o privilégio de ter sido parte de sua vida. E isso a deixou orgulhosa.

A folha pousou num monte de neve. Estava macio, até mesmo aconchegante. Naquela nova posição, a folha estava mais confortável do que jamais se sentira.

 Ela fechou os olhos e adormeceu. Não sabia que a folha que fora, seca e aparentemente inútil, se ajuntaria com a água e serviria para tornar a árvore mais forte. 

E, principalmente, não sabia que ali, na árvore e no solo, já havia planos para novas folhas na primavera”.




* Leo Buscaglia ,escritor ítalo-americano, falecido em 1998, aos 74 anos, foi professor na Southern University of California e publicava com regularidade no New York Times, com uma linha editorial baseada no comportamento humano, especialmente sobre o amor e seus desdobramentos. Foi também o pioneiro em criar na universidade um curso específico sobre o tema. E ironizava: “Ao que eu saiba, somos a única escola do país, e talvez do mundo, que tem uma disciplina chamada Amor. E eu, o único professor, louco o bastante, para ensiná-la”.