22/05/2019

º Questionamentos º



Sempre que voltamos das férias, após dias na praia, vivendo e vendo coisas lindas, curtindo bastante até que chega a hora de voltar...

Olhando ao redor vemos os moradores fixos da praia, os que ficam aqui o ano todo.

Vemos os pescadores com suas peles enrugadas, sem nelas ter um único dia, passado um filtro solar... Vemos idosos que optaram por aqui viver...

Não posso deixar de pensar nas diferenças de vida...

Me questiono se vale a pena viver na cidade dita com TODOS os recursos em vários sentidos ou abrir mão deles, que por vezes tanto atrapalham.

Os pescadores e moradores antigos daqui, vivem tranquilinhos, tenho certeza, nunca fizeram um teste de PSA, as mulheres nunca fizeram consultas, mamografias e no entanto: vivem.

E vivem bem, tranquilinhas, sem NADA SABER.

Se doentes, não parecem ser...

Se doentes e não sabem, mais felizes e menos preocupados.

Estarei maluca?

Acho que , certas coisas, seria melhor , muiiiiiiiito melhor não saber do que ficar vivendo parênteses de vida... Nesses, férias e alegrias e depois a volta à rotina, às preocupações, aos exames, tudo mais.

Não sei não, mas saio de lá  convencida que uma vida simples, sem problemas, ajuda em muito e viver bem enquanto dá, muito melhor do que viver muiiiiiiiiiiiiiiitos anos e por exemplo como a Oma, minha mãe, há anos sem caminhar , dependendo de tudo dos outros...E ainda bem, tem condições de ter ajuda, pois a maioria fica jogada à própria sorte!


De que adianta?


08/05/2019

º Os vazios preenchidos! º




Trouxe desse lindo blog e as palavras:

"Um vazio cheio de tanto"...

Li o post por lá, olhei e admirei as fotos todas ,mas me detive nessa acima...
Tão linda a foto e tão maravilhosas as palavras!

Fiquei pensando:  Quantas vezes na vida assim estamos?

Parecendo num vazio, num breu e ainda assim, nosso vazio é habitado por tantas coisas, tanta gente que precisa de nós e espera por nós...

A vida é assim, feita de cheios e vazios... Isso é normal...

O  importante é nunca deixar que até os vazios fiquem ocos ou desabitados...

Precisamos de ocupações...

A mente pode ficar relaxada, aprender a isso fazer. Mas sempre bem povoada!!!

 Pensemos nisso!

bjs, chica