15/05/2018

º Passemos "levemente"... º

Quando em meio às mais simples tarefas estamos "ligadas", delas ou nelas podemos lições tirar pelos caminhos da vida...

Até num simples pote de manteiga...

Podemos " passar" delicadamente não estragando caminhos ou "pisar"sem dó nem piedade, fazendo sulcos, deixando marcas feias e "fundas" para quem depois de nós por ali chegar...



Trazendo novamente para a manteiga, não suporto chegar quando já fizeram buracos ou fendas parecendo vulcânicas, rs...

Quem gosta? Prefiro encontrá-la delicada e alisadinha...


Mas nem sempre essa sorte temos...


Fica  a reflexão: tenhamos passos leves...


Que nossas marcas deixadas sejam delicadas, não importando o tamanho dos nossos "pés ou facas"...


Tudo fica mais bonito...Até a manteiga que o outro vai ter que usar, depois de nós,  para passar no seu pão...




chica



30/04/2018

  º O caminho º



Era domingo, dia 3 de janeiro. Acordei às 4:30 da manhã, com forte inquietação. Suor escorria pelo meu rosto, demonstrando que eu não tivera um bom sono. Entretanto, eu sequer me lembrava o que eu havia sonhado. Fui para fora de casa com o intuito de pegar um ar e relaxar, mas acabei me angustiando ainda mais.

Havia um bilhete dentro de um cartão cinza que fora colocado ao lado da porta da residência. Abri prontamente o envelope e me deparei com uma mensagem um tanto estranha, com os dizeres:

“Fuja ou este será o teu último dia.”

Pensei que era algum tipo de brincadeira de péssimo gosto. Joguei o cartão fora e continuei

normalmente o meu dia. Tomei o café da manhã, escovei os dentes, me vesti e fui ao trabalho. As lojas estavam todas fechadas, com cartazes e fitas pretas, e não havia uma pessoa nas ruas. Estava completamente nublado, mas não chovia.

Depois de passar pelos vazios, escuros e silenciosos corredores do prédio, finalmente cheguei ao meu escritório. Nele, havia um mural com fotos de alguns momentos que eu tive. Alguns felizes, outros tristes. Alguns recentes, outros bem antigos. Mas o mais estranho era que eu não conseguia me lembrar quando havia colocado estas imagens no mural.


Por um momento, parei para refletir: não havia ninguém na rua, as lojas estavam fechadas, havia faixas e fitas pretas por toda parte, memórias e fotos no escritório… Foi então que, no meio de tanta escuridão, encontrei a luz da razão. A brincadeira de péssimo gosto, na verdade, nunca foi uma brincadeira.

* TEXTO ESCRITO PELO NENO

15/04/2018

  º O agir com sabedoria... º





As pessoas não se dão conta do que fazem, me parece...

Passam pela vida e acreditam que a vão levando ou deixando se levar como aquela música..."Deixa a vida me levar", do Zeca Pagodinho...

Mas todos os atos, cada um, deixam marcas...

Há quem as escolhas feitas, marcas na vida existem como consequência delas. 

Saber se comportar diante da vida e circunstâncias é preciso.

Há coisas que não voltam e outras irreparáveis ...Não que  a vida não possa em frente  seguir, mas sempre aquele probleminha ali estará para lembrar e  na conduta de alguém ,fazer aquilo reviver...

Melhor agir com gentileza e firmeza...

Saber resolver problemas lá de trás...Se não resolver sozinho, há profissionais para tal ajuda.  Mas estancar a vida, isso é impraticável.

Ficar apenas vendo a mesma passar?  Nem pensar. Isso não é viver!! É vegetar!!!

E isso é dose pra mamuuuuuuuuuuuuuuuuuute,rs...

chica


30/03/2018

  º Como podemos justificar a realidade? º


A realidade existe e sempre irá existir pois ela é tudo.

Se algo existe, faz parte da realidade.

Se vivemos em um sonho, a vivemos igualmente, pois nessa caso, o próprio sonho será a realidade.

Se nada existe, ainda assim é a realidade. Nesse caso, ela será  o próprio "nada".
Ela sempre irá existir e será aquilo que existe junto com ela.

Conclusão: A realidade é o que existe. Se nada existe, a realidade é o nada.

NENO