11/12/2018

º Autorretrato poético... º






Autorretrato
É sobre definir.
Conceituar a si mesmo.
Mas, conceituar o que?

Nada somos além
De matéria em movimento.
Um antro de reações
Que acontecem a todo momento.

Não há nada a definir,
A não ser conceitos e ideologia.
O que criamos na mente
É a única coisa que nos diferencia.

E definir minhas ideias,
Levaria tempo demais.
Emaranhado de opiniões,
Ética e também morais.

Se não fossem nossos ideais,
Não passaríamos de uma mera etapa da evolução.
Ideias, e somente ideias,
Podem iluminar a escuridão.


Neno- Dez 2018



28/11/2018

  º O "golpe",rs... º





_Mãe, tudo bem contigo?

_Sim!

_Só tô ligando pra dizer que ele tá morrendo...


_Quem? QUEM???grita mãe.


Desesperada ela tenta ligar para o número da filha...

Ela atende.

_QUEM tá morrendo?

_Falta pouco!

_ O quê? COMO? QUEM? Fala, anda logo!

_O celular,mãe...


Se queres contato comigo, podes colocar créditos? Acabaram. Aí sim, poderemos fa..................

Pronto! Agora sim, morreu, pensa a mãe, tentando já colocar os créditos pela internet...

Afinal. como perder um contato desses ?rs...

* Imagem daqui








14/11/2018

  º Detalhes... º






Quando caminhamos , passamos pelos lugares

olhares atentos devemos tentar sempre ter...

Se simplesmente passamos, apressados,

de repente, detalhes poderão ser ignorados...

Vale a pena olhar bem!

Saber o que bem pode nos fazer ao olhar...

O que assim não for, podemos logo, no esquecimento deixar!

chica


31/10/2018

º º



Muitas pessoas desvalorizam o passado, dizendo "quem vive de passado é museu". Outros dizem que aquilo que já passou não importa mais, afirmando que apenas o presente é essencial.


O presente é, realmente, essencial. Mas é inegável, também, que o passado representa muito em nossas vidas.


O dia de hoje é extremamente influenciado pelo dia de ontem. Somos o que somos no presente por causa daquilo que fizemos no passado, incluindo atos bons e também alguns vacilos. É natural.


No entanto, antes de dar um passo agora, é preciso olhar para trás como uma fonte de consulta, para evitar o que deu errado e repetir aquilo que deu certo. Aliás, é para isso que servem as aulas de história no colégio.


Assim, é importante viver o presente, mas sem esquecer aquilo que já passou. Pensar bem no dia de hoje, baseado na experiência que cada um carrega, permitirá termos boas lembranças no futuro.


Quem esquece de onde veio não sabe para onde vai. E, sabendo para onde ir, teremos boas lembranças no dia de amanhã. E, para todas as pessoas, uma hora só restará aquilo que já passou.


Neno



14/10/2018

  º Mistérios... º





A porta fechada com um velho cadeado...

Por trás dela, mistérios indevassáveis...

De ferrugem como ele, imaginava-se estar também o coração daquela idosa, que ainda resistia às doenças que a vida lhe preparava, mas mesmo assim, não destrancava os segredos de sua vida...

Seu coração resistia, como resistia sua língua em contar inimagináveis acontecimentos daquela vida...

Aquilo tudo poderia mudar vidas, nomes, sobrenomes.

E ela ainda não deixara o coração se abrir... Seria ato contínuo...Quando alguém o cadeado conseguisse abrir, o velho coração pararia, haveria de deixá-la ir...

Assim pensavam as filhas, assim comentavam entre elas...

O tempo passa e o coração parou...

Ninguém das herdeiras coragem tinham para naquilo remexer...

Dentro delas, a desconfiança ,mas ainda a lucidez.. E foi essa que fez com que fizessem um pacto de irmãs...

Nenhuma naquilo tocaria, nenhuma os tais segredos desvendaria.. Talvez por medo que algo ali dentro, algum escrito, alguma foto ,algum exame ou certidão, estragasse entre elas a linda união!

Assim fizeram e maridos, netos, bisnetos, olham com curiosidade aquela porta fechada com o grande cadeado...

Curiosidade essa, ainda que grande, era cercada do respeito por aquela idosa que quis que tudo assim fosse, que anos e anos viva, conseguia para ser a guardiã da família ,claro à sua forma e jeito...

As filhas, já nenhuma criança eram, poderiam com aquele mistério logo acabar...

Poderiam, mas coragem não tinham...Imaginavam a presença da mãe a lhes criticar e tudo aquilo proibir...

O que seria feito daquilo tudo? Só o tempo...

Ah! Esse tempo, acreditavam elas, que um dia, em pó a madeira iria transformar e então nenhum cadeado mais poderia o "sol com a peneira tapar"!

Seria tarde?

Algumas delas talvez nem mais aquela cena pudessem presenciar, mas pelo menos, em pensamento, fizeram o melhor, para a memória da mãe preservar!

Foi o melhor, queriam acreditar!

Teimavam e precisavam nisso acreditar!

chica


26/09/2018

º Das perdas... º



Essa semana que passou tivemos  uma perda de um amigo de longos anos.
Era parceiro de trabalho do meu marido e mesmo após a aposentadoria dos dois, estavam sempre em contato.
Assim, mesmo sendo avessos à frequentar lugares tristes e que não nos façam bem, por motivos óbvios, tivemos que ir até lá confortar a viúva e dele nos despedir.

O cenário sempre aquele. Triste!  Perder alguém nunca é bom!

 O restante do cenário, encontro e reencontro com velhos amigos de trabalho... Claro que sorrisos e alegria ao rever alguns deles. Nem todos, claro!!!

Mas voltando, assim é.

Dentro da sala, o silêncio.

Fora dela, o alarido de vozes que se reencontravam e parecia que a vida estava correndo normalmente, sem dar muita "bola" parta aquele que ali estava deitado...

 Chega o padre.
A primeira fala:

_Por favor, desliguem celulares ou os silenciem e se aproximem.

Nada mais certo!

Na primeira frase dele, já conquistou a atenção de todos.
Há os que sabem e os que não o sabem fazer.  Reforçou carinhosamente para a viúva e os enlutados, a importância daquela sala cheia estar. Disse que já fez essa cerimônia com a sala toda vazia, apenas o "interessado".

E que se cheia estava, era o que o tesouro que o amigo que partiu havia conquistado. Sua bagagem. Apenas essa ele levaria!

Mostrou o valor da família, amigos ,o desprendimento do material e a importância de não esquecer que podemos saudades sentir, mas não tristeza. Quem foi, já está do outro lado ,descansou! Lá agora é a festa!

Enfim, fazia tempo, não ouvia um padre tão afetivo, tão gente como aquele. Saímos bem, apesar de...

Mas a vida segue...

E na vida, as inconformidades com as leis aparecem...
A viúva além de perder o seu amor e parceiro de longa vida, receberá apenas a metade da aposentadoria, que já é uma vergonha nacional.

E mais: ao planos de saúde a que estava vinculada, terá direito somente por um ano...
E depois?

Assim, segue a vida...

Me pergunto: é justo isso?  Se ela morresse, ele continuaria com tudo igual...

Mas as mulheres, até nessa hora perdem!

Aff...Haja!!!

Há que lutar!!! Não se conformar!!!

  chica



13/09/2018

º "Estudantes"? º

Recentemente, um professor da Universidade de Lausanne, na Suiça, ganhou o Prêmio Nobel de Química.  Isso mostra o quanto as universidades do exterior investem em novas pesquisas e novos conhecimentos, muitas vezes com grande participação dos próprios alunos no processo.

Há vários outros exemplos em que acadêmicos, professores e pessoas ligadas à escola superior conseguiram, através de muito esforço e pesquisas, diversos prêmios que reconhecem os seus feitos notórios.

Enquanto isso, em várias cidades do Brasil, universidades federais foram ocupadas por "estudantes", que tinham o intuito de protestar contra alguns projetos do governo, mas acabaram impedindo a realização de diversas aulas, proibindo a circulação dentro dos prédios públicos.  Diante dessa situação, é preciso destacar dois pontos, presentes na Constituição Federal. 


1- (Art. 5, inc. IV da Constituição Federal de 88)

" é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato; [...] XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente;"


2- (Art. 5, inc. XV da Constituição Federal de 88)

“é livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens”


Assim, é evidente que uma manifestação não pode impedir ninguém de frequentar um espaço público, nem sequer impedir que indivíduos assistam e participem da programação da universidade.  Impedir que os verdadeiros estudantes assistam as aulas é um atentado contra o progresso e contra o desenvolvimento. É lamentável que exista tamanha diferença de caráter entre pessoas de mesma idade, mas que receberam educação e disciplina de formas diferentes.

E ainda há quem pergunte por que há tantas "fugas de cérebros" do Brasil. 

NENO


27/08/2018

º Um achado enviado... º


Terra da Realidade, abril de 2000.



Para vocês minhas queridas e alegres amigas...


Como todas sabem estou aqui nesse quarto há algum tempo já.

Entrei cheia de esperanças, vim numa urgência, cheia de dores...

A cirurgia correu bem, porém minha fraqueza, persiste. Assim, por aqui devo ficar.

Na falta do que me ocupar, não podendo fazer as coisas que gosto, olho pela janela.

Quando estou deitada, vejo apenas o céu.

Esse, assim como eu, muda de tons, passa do cinza para o brilhante azul. Vem e vão as nuvens, assim como dentro de mim elas chegam, colocando dúvidas, desesperanças, mas ainda bem, também se vão.

.... Pausa

( Retomo hoje, dias após, a escrita. Tive que interromper,não posso ficar muito tempo concentrada.Estou fraca)


Quando me é permitido chegar até a janela, meu único meio de ver a vida lá fora, procuro observar a pressa dos carros que parecem nem um minuto da vida poder perder.

Vejo pessoas aqui entrando.

Muitas cheias de sacolas, com roupas que vão e voltam para as casas.

Vejo as que carregam flores, chegando para visitar algum paciente amigo ou familiar.

Vejo os que saem carregando "trouxinhas" lindas e cheias de luz, os bebezinhos apenas nascidos por aqui.
Me emociono com essa cena!

E , tantas vezes, após ver as flores carregadas, fico à espera que a porta de meu quarto se abra, que sejam para enfeitar meu quarto, já tão esquecido.

Lembro que logo que aqui cheguei, as visitas tiveram inclusive que ser limitadas por ordem médica, tal era a quantidade. Estas foram escasseando, escasseando, hoje são raras.


(Outra pausa, salvei o email para recuperar tão logo possa)



-Sabem o que passa pela minha mente aqui tão desocupada?

_ Penso que somente se a situação é grave, com riscos, as pessoas aparecem. Depois, ficamos no esquecimento...

A vida está assim e as correrias lá fora, não permitem muita solidariedade, ou gestos de carinho. Tudo é pressa, tudo é correria.

Pena!
Mas eu não culpo ninguém. Sei que se não estivesse aqui, talvez seria assim também.

Ano passado, nesse dia, que foi meu aniversário, o quarto ficou lotado.

Eram flores de todas as cores, lindas, perfumadas. Tivemos que colocá-las no corredor, tantas eram.

Hoje, apenas minha família querida aqui está...

Mas, tenho certeza, caso daqui eu não saia, ao saberem da notícia, todas correrão, combinarão encontros para virem ao enterro, aos atos fúnebres e como tantas vezes fizemos, tomarão um cafezinho juntas entre belos e alegres papos , assim que tudo estiver acabado.

Assim, nesse meu aniversário, resolvi visitar cada uma de vocês e em pensamento, estamos juntas.

Desculpem o email coletivo, fiz o que pude...

Deixo meu carinho e agradecimento pelos bons momentos que juntas vivemos, as risadas, as boas caminhadas...Foi muito bom tudo aquilo!



Beijos, Bernadeth

........................................


* Para as amigas de minha filha...

Agora, quem aqui escreve é Pietra, mãe da querida Berna,como era por todos nós chamada.

Encontrei aqui, salvo nos rascunhos dela esse email e achei que ficariam felizes em recebê-lo. Foi pensado para cada uma de vocês e pode deixar uma lição.
Por isso encaminho .

Tudo aconteceu rapidamente e após dois dias de seu aniversário nossa Berna partiu.

Parecia antever a partida. Seus últimos momentos foram olhando o céu daquela cama e me chamou.

Mostrou as nuvens lá no alto e disse que eu nunca a deveria esquecer. Ela iria para lá e que de onde estivesse me sorriria e piscaria um olhinho, como sempre fazia.

Assim partiu olhando o céu e para o céu se foi!

E, como ela previu, algumas de vocês apareceram para a despedida...Algumas apenas!

Fica a lição: Façamos enquanto as pessoas aqui estão. Depois, podemos apenas olhar para os céus e ter saudades.

beijos, Pietra

* Hoje, dia 27 de agosto, a pessoa querida que me inspirou, minha irmã Sandra, completaria 73 anos. Ela, como a do texto, faleceu dois dias após o niver e com apenas 19.
O tempo passa, mas as lembranças ficam ...
Viajei nas saudades, mas com fundo de verdade!

15/08/2018

º A falha mais importante º





A cada 4 anos, surge novamente o debate envolvendo as eleições para a presidência do Brasil.
Inúmeras matérias começam a aparecer em jornais, na televisão, no rádio e etc...
Há manifestações e discussões nas ruas, com diálogos e campanhas.
E também desejos de um país melhor.

No entanto, isso tudo não leva a nada. O problema não envolve somente os políticos. Não é um novo presidente quem vai mudar o país.

O problema é o sistema. Um sistema no qual é obrigatório ter apoio no Congresso, caso contrário não há como fazer nada. Ele é baseado somente em alianças partidárias, que envolvem interesses pessoais e não ideológicos.

Se não houver apoio político, ninguém pode mudar nada no país, pois os deputados e senadores votam "sim" ou "não" conforme o partido daquele que criou o projeto, e não conforme a proposta em si.

Portanto, mudar o sistema é tão importante quanto mudar os nossos representantes, embora ninguém comente acerca disso.

Neno







29/07/2018

  º Cantando a vida... º






"Palavras não bastam para descrever"
o que sinto dentro de mim...
presentes da vida consegui ter
por isso, sou bem feliz assim!

Nossa vida vai passando
o tempo parece até voar
muitos sonhos realizando
outros ainda, por concretizar...

Ter um amor ao meu lado
e pra tantos anos atrás olhar
saber que nada foi mudado
no amor, que só faz aumentar!

Saber olhar para a vida
com tudo que ela nos deu
é ver que ganhamos muito mais
do que aquilo que se perdeu...

Ganhamos sempre, a cada dia
a cada novo amanhecer
portanto, vivamos a alegria
e saibamos agradecer!



* Encontrei esse texto que foi publicado em Jun/2010 , participando de um projeto e deveria conter a frase: "Palavras não bastam para descrever"

O trago novamente para lembrar, relembrar e ver que temos agradecer por tudo que já ganhamos...

chica


29/06/2018

ºOlha, pai, eu tentei, mas acho que não deu muito certo não… º



Olha, pai, eu tentei, mas acho que não deu muito certo não…

Era dia 24 de agosto, uma quarta-feira. Dia de trabalho. Eu, como jornalista, tinha a missão de mostrar como a vida se desenrolava nas principais periferias da cidade, para a realização de uma grande reportagem. Estava frio e o caminho para o morro não era fácil. Por medo, a minha empresa não disponibilizara o carro oficial para a viagem. Como não tenho um veículo, tive de ir a pé.

A paisagem não era das mais acolhedoras. Uma estrada de barro em zigue-zague, cercada inteiramente de barracos ou qualquer coisa que servisse como lar, levava até um pequeno mercado, cujas paredes tinham mais buracos do que concreto. Pensei em ir até lá entrevistar o caixa, mas o olhar de um sujeito estranho me impediu de continuar naquela direção. Foi nesse momento que percebi como o preconceito não para de nos perseguir.

Segui o meu caminho por outro beco e encontrei uma jovem indo para a escola municipal. Eu a cumprimentei e perguntei se poderia realizar uma breve entrevista. Ela estava abrindo a boca para responder, quando um adolescente passou rapidamente por nós e disse, se dirigindo à guria:

-“Pra variar, não tem aula hoje, Gizele! Greve de novo.”


Com isso, me dei bem. Ela disse que havia tempo de sobra e até me convidou para visitar a sua casa. Prontamente, aceitei o convite. A jovem me conduziu por uma série de vielas até chegar em uma estrutura de somente 1 andar, que deveria ter menos de 15 metros quadrados. Ela falava sobre a sua vida, quando eu escutei uma frase que chamou a atenção:

“Olha, pai, eu tentei, mas acho que não deu muito certo não…”


Sem esconder minha curiosidade (e com certa falta de educação, da qual me arrependo) , fui verificar o que estava acontecendo no cômodo ao lado. Um garoto, com talvez 8 anos, tentava consertar uma lâmpada queimada ao lado do pai, que lhe mostrava exatamente o que deveria ser feito.

Essa situação me deixou muito feliz. Ver um garoto, provavelmente sem escolaridade alguma, totalmente interessado em aprender coisas tão práticas com o pai foi algo realmente entusiasmante.

Terminei a entrevista e agradeci a menina. Depois de tudo isso, a reportagem rendeu. O futuro precisa e merece interesse.



* Texto escrito pelo Neno

*Trabalho do colégio, com as seguintes regras:

-Texto em primeira pessoa
-Espaço: social



15/06/2018

  º Simples Assim... º





Por si só a imagem já nos remete à coisas boas...
Férias, sol, céu azul e  mar...
No caso, essa foi clicada à beira de uma piscina num clube.

Mas o que mais me chamou foi a frase: SIMPLES ASSIM!

Tão pouco precisamos e tanto complicamos pela vida afora!

Em época de férias somos felizes com  tão pouco... Precisamos roupas de banho, chinelos, chapéu, protetor, muita água, sol e mar...

De volta delas, tudo muda, é óbvio. Mas a simplicidade não deveria mudar!
Temos tanto e sempre parece precisamos mais e mais.  Até quando essa "bandeira" vai  vigorar em nossas vidas?

Tenhamos cuidado, pois na angústia de tanto ter, arrecadar, juntar, podemos esquecer de coisas simples como o hoje VIVER!

SIMPLES ASSIM, mas podemos nisso pensar!




29/05/2018

º A importância da poupança... º



O consumo faz bem para o país. Faz muito bem, mesmo. No entanto, antes dele deve haver a poupança, que é algo muito mais importante do que as pessoas pensam.

Gastar, comprar algo, é bom. Nós adquirimos um produto e o vendedor ganha dinheiro, com o qual também irá adquirir alguma coisa. É um fluxo contínuo que está sempre presente em nossas vidas, embora não possamos ver.

Mas, antes de consumir, antes de fazer qualquer investimento, deve-se poupar.  O consumo, sem a poupança, não vale nada.

O ato de poupar permite que façamos planos: dá tempo de pensar no melhor investimento a se fazer e permite a realização de um sonho, em um futuro próximo ou longínquo .

É melhor ter poupança e não consumir do que consumir e não ter poupança.


Neno



15/05/2018

º Passemos "levemente"... º

Quando em meio às mais simples tarefas estamos "ligadas", delas ou nelas podemos lições tirar pelos caminhos da vida...

Até num simples pote de manteiga...

Podemos " passar" delicadamente não estragando caminhos ou "pisar"sem dó nem piedade, fazendo sulcos, deixando marcas feias e "fundas" para quem depois de nós por ali chegar...



Trazendo novamente para a manteiga, não suporto chegar quando já fizeram buracos ou fendas parecendo vulcânicas, rs...

Quem gosta? Prefiro encontrá-la delicada e alisadinha...


Mas nem sempre essa sorte temos...


Fica  a reflexão: tenhamos passos leves...


Que nossas marcas deixadas sejam delicadas, não importando o tamanho dos nossos "pés ou facas"...


Tudo fica mais bonito...Até a manteiga que o outro vai ter que usar, depois de nós,  para passar no seu pão...




chica



30/04/2018

  º O caminho º



Era domingo, dia 3 de janeiro. Acordei às 4:30 da manhã, com forte inquietação. Suor escorria pelo meu rosto, demonstrando que eu não tivera um bom sono. Entretanto, eu sequer me lembrava o que eu havia sonhado. Fui para fora de casa com o intuito de pegar um ar e relaxar, mas acabei me angustiando ainda mais.

Havia um bilhete dentro de um cartão cinza que fora colocado ao lado da porta da residência. Abri prontamente o envelope e me deparei com uma mensagem um tanto estranha, com os dizeres:

“Fuja ou este será o teu último dia.”

Pensei que era algum tipo de brincadeira de péssimo gosto. Joguei o cartão fora e continuei

normalmente o meu dia. Tomei o café da manhã, escovei os dentes, me vesti e fui ao trabalho. As lojas estavam todas fechadas, com cartazes e fitas pretas, e não havia uma pessoa nas ruas. Estava completamente nublado, mas não chovia.

Depois de passar pelos vazios, escuros e silenciosos corredores do prédio, finalmente cheguei ao meu escritório. Nele, havia um mural com fotos de alguns momentos que eu tive. Alguns felizes, outros tristes. Alguns recentes, outros bem antigos. Mas o mais estranho era que eu não conseguia me lembrar quando havia colocado estas imagens no mural.


Por um momento, parei para refletir: não havia ninguém na rua, as lojas estavam fechadas, havia faixas e fitas pretas por toda parte, memórias e fotos no escritório… Foi então que, no meio de tanta escuridão, encontrei a luz da razão. A brincadeira de péssimo gosto, na verdade, nunca foi uma brincadeira.

* TEXTO ESCRITO PELO NENO

15/04/2018

  º O agir com sabedoria... º





As pessoas não se dão conta do que fazem, me parece...

Passam pela vida e acreditam que a vão levando ou deixando se levar como aquela música..."Deixa a vida me levar", do Zeca Pagodinho...

Mas todos os atos, cada um, deixam marcas...

Há quem as escolhas feitas, marcas na vida existem como consequência delas. 

Saber se comportar diante da vida e circunstâncias é preciso.

Há coisas que não voltam e outras irreparáveis ...Não que  a vida não possa em frente  seguir, mas sempre aquele probleminha ali estará para lembrar e  na conduta de alguém ,fazer aquilo reviver...

Melhor agir com gentileza e firmeza...

Saber resolver problemas lá de trás...Se não resolver sozinho, há profissionais para tal ajuda.  Mas estancar a vida, isso é impraticável.

Ficar apenas vendo a mesma passar?  Nem pensar. Isso não é viver!! É vegetar!!!

E isso é dose pra mamuuuuuuuuuuuuuuuuuute,rs...

chica


30/03/2018

  º Como podemos justificar a realidade? º


A realidade existe e sempre irá existir pois ela é tudo.

Se algo existe, faz parte da realidade.

Se vivemos em um sonho, a vivemos igualmente, pois nessa caso, o próprio sonho será a realidade.

Se nada existe, ainda assim é a realidade. Nesse caso, ela será  o próprio "nada".
Ela sempre irá existir e será aquilo que existe junto com ela.

Conclusão: A realidade é o que existe. Se nada existe, a realidade é o nada.

NENO

15/03/2018

  º Engolir ou correr riscos? º




"Credo in cruiz"!!!

A vida anda bem esquisita mesmo, não acham?

Na hora de falar, colocar nossos pensamentos, temos que  nos policiar de um modo que por vezes podemos perder a graça, a espontaneidade.

Agir politicamente corretos não é fácil para quem tem como característica a autenticidade!

Tudo hoje em dia é bulling, é racismo, homofobia...

Como gaúcha, só posso dizer e pensar: BARBARIDADE,TCHÊ!!!

Pra que complicar tanto as coisas, tornando a vida mais difícil?

E, se o assunto é política e/ou religião?  Sai de baixo!!!  Melhor engolir pois senão teremos incomodações  pela frente...

 - E será que "engolir" faz bem???

É um tema para  pensar e repensar!!!

Corremos o risco sempre...

O mundo anda  muito cheio de "mimimis"  e cabe à nós a escolha: engolir sapos e pensamentos, causando até uma indigestão e engasgamentos ou  entrar em brigas...

Tá enroscada a coisa, valha-me Senhor!!!

chica


01/03/2018

  º Prioridades º

Há alguns meses, ficamos todos sabendo que algumas empresas estão planejando realizar viagens para Marte, com o intuito de levar pessoas para investir e construir no planeta vermelho. Uma espécie de colonização espacial.

A NASA quer fazer isso desde que o homem foi à lua. A curiosidade move as pessoas e descobrir coisas novas é muito bom.

No entanto, por mais que essa busca por conhecimento faça bem, temos que primeiro pensar no nosso próprio planeta. Antes de investir em Marte, é essencial ajeitar as coisas aqui na Terra.

É muito mais lógico e fácil ajeitar o que há de errado aqui. Investir em outro planeta não faz o menor sentido. Temos que resolver os problemas que existem antes de criar outros.

 A ciência pode esperar. Os cidadãos que enfrentam problemas todos os dias, não!

Neno



15/02/2018

  º Conservas? º



Tantas  vezes nas nossas vidas utilizamos potes de conservas.

Há muito tempo não as faço...Mas tenho belas lembranças de as ver fazer...

Eram escolhidas as frutas ou os vegetais para serem preparados para nos vidros descansar até ficarem no ponto...E esse ponto era bem esperado..

Os pepinos lembro bem, não poderiam ficar muito temperados ou fortes.  Os pêssegos e figos, nem deixávamos  o tempo certo até de esfriar...

Fico pensando neles e a comparação com nossas vidas...
Não nos podemos conservar em potes...Estamos livres!

Não podemos pretender que em contato com o "ar" a cada dia, não soframos nas peles os efeitos das várias poluições...

Importa, no entanto, saber conservar não a "casca", mas o de bom que tivermos nas lembranças e em nossos recheios...

Assim, mesmo fora de vidros, estaremos bem e poderemos dizer que valeu a pena nos guardarmos  e  estarmos por aqui!




06/02/2018

  º O trabalho... º

Nesses últimos meses, me vi muito interessado em economia. Não sei o motivo, só sei que o interesse veio de forma muito natural.

Comecei a pesquisar sobre alguns assuntos na internet e no começo deste ano comprei alguns livros. Entre eles, "A riqueza das nações", de Adam Smith, pai do capitalismo moderno.

Na primeira frase do livro, o autor declara que o trabalho é a forma com a qual as nações suprem as suas necessidades conforme o modo de viver. Tudo é feito a partir do trabalho. Sem ele, nada se cria, nada se desenvolve, nada acontece.

Eu concordo totalmente com a afirmação da obra. O trabalho é o que move o mundo. Dependemos de inúmeras profissões para viver, algumas que nem sabemos que existem. A sociedade se adapta junto com o mercado. Dependemos do trabalho nosso e de outras pessoas.  Como um pacto social.

Todas as profissões são de extrema importância. O indivíduo ganha dinheiro e presta um serviço para os outros. E assim o mundo vai eternamente girando.

Assim, antes de reclamar do cansaço profissional, pense que estás realizando um serviço que vai te dar uma renda e, além disso, é importante para o funcionamento da sociedade. Ela depende de todas as pessoas e de todos as atividades profissionais. Se todos tivessem preguiça, nada iria acontecer.

Neno