15/06/2018

  º Simples Assim... º





Por si só a imagem já nos remete à coisas boas...
Férias, sol, céu azul e  mar...
No caso, essa foi clicada à beira de uma piscina num clube.

Mas o que mais me chamou foi a frase: SIMPLES ASSIM!

Tão pouco precisamos e tanto complicamos pela vida afora!

Em época de férias somos felizes com  tão pouco... Precisamos roupas de banho, chinelos, chapéu, protetor, muita água, sol e mar...

De volta delas, tudo muda, é óbvio. Mas a simplicidade não deveria mudar!
Temos tanto e sempre parece precisamos mais e mais.  Até quando essa "bandeira" vai  vigorar em nossas vidas?

Tenhamos cuidado, pois na angústia de tanto ter, arrecadar, juntar, podemos esquecer de coisas simples como o hoje VIVER!

SIMPLES ASSIM, mas podemos nisso pensar!




29/05/2018

º A importância da poupança... º



O consumo faz bem para o país. Faz muito bem, mesmo. No entanto, antes dele deve haver a poupança, que é algo muito mais importante do que as pessoas pensam.

Gastar, comprar algo, é bom. Nós adquirimos um produto e o vendedor ganha dinheiro, com o qual também irá adquirir alguma coisa. É um fluxo contínuo que está sempre presente em nossas vidas, embora não possamos ver.

Mas, antes de consumir, antes de fazer qualquer investimento, deve-se poupar.  O consumo, sem a poupança, não vale nada.

O ato de poupar permite que façamos planos: dá tempo de pensar no melhor investimento a se fazer e permite a realização de um sonho, em um futuro próximo ou longínquo .

É melhor ter poupança e não consumir do que consumir e não ter poupança.


Neno



15/05/2018

º Passemos "levemente"... º

Quando em meio às mais simples tarefas estamos "ligadas", delas ou nelas podemos lições tirar pelos caminhos da vida...

Até num simples pote de manteiga...

Podemos " passar" delicadamente não estragando caminhos ou "pisar"sem dó nem piedade, fazendo sulcos, deixando marcas feias e "fundas" para quem depois de nós por ali chegar...



Trazendo novamente para a manteiga, não suporto chegar quando já fizeram buracos ou fendas parecendo vulcânicas, rs...

Quem gosta? Prefiro encontrá-la delicada e alisadinha...


Mas nem sempre essa sorte temos...


Fica  a reflexão: tenhamos passos leves...


Que nossas marcas deixadas sejam delicadas, não importando o tamanho dos nossos "pés ou facas"...


Tudo fica mais bonito...Até a manteiga que o outro vai ter que usar, depois de nós,  para passar no seu pão...




chica



30/04/2018

  º O caminho º



Era domingo, dia 3 de janeiro. Acordei às 4:30 da manhã, com forte inquietação. Suor escorria pelo meu rosto, demonstrando que eu não tivera um bom sono. Entretanto, eu sequer me lembrava o que eu havia sonhado. Fui para fora de casa com o intuito de pegar um ar e relaxar, mas acabei me angustiando ainda mais.

Havia um bilhete dentro de um cartão cinza que fora colocado ao lado da porta da residência. Abri prontamente o envelope e me deparei com uma mensagem um tanto estranha, com os dizeres:

“Fuja ou este será o teu último dia.”

Pensei que era algum tipo de brincadeira de péssimo gosto. Joguei o cartão fora e continuei

normalmente o meu dia. Tomei o café da manhã, escovei os dentes, me vesti e fui ao trabalho. As lojas estavam todas fechadas, com cartazes e fitas pretas, e não havia uma pessoa nas ruas. Estava completamente nublado, mas não chovia.

Depois de passar pelos vazios, escuros e silenciosos corredores do prédio, finalmente cheguei ao meu escritório. Nele, havia um mural com fotos de alguns momentos que eu tive. Alguns felizes, outros tristes. Alguns recentes, outros bem antigos. Mas o mais estranho era que eu não conseguia me lembrar quando havia colocado estas imagens no mural.


Por um momento, parei para refletir: não havia ninguém na rua, as lojas estavam fechadas, havia faixas e fitas pretas por toda parte, memórias e fotos no escritório… Foi então que, no meio de tanta escuridão, encontrei a luz da razão. A brincadeira de péssimo gosto, na verdade, nunca foi uma brincadeira.

* TEXTO ESCRITO PELO NENO

15/04/2018

  º O agir com sabedoria... º





As pessoas não se dão conta do que fazem, me parece...

Passam pela vida e acreditam que a vão levando ou deixando se levar como aquela música..."Deixa a vida me levar", do Zeca Pagodinho...

Mas todos os atos, cada um, deixam marcas...

Há quem as escolhas feitas, marcas na vida existem como consequência delas. 

Saber se comportar diante da vida e circunstâncias é preciso.

Há coisas que não voltam e outras irreparáveis ...Não que  a vida não possa em frente  seguir, mas sempre aquele probleminha ali estará para lembrar e  na conduta de alguém ,fazer aquilo reviver...

Melhor agir com gentileza e firmeza...

Saber resolver problemas lá de trás...Se não resolver sozinho, há profissionais para tal ajuda.  Mas estancar a vida, isso é impraticável.

Ficar apenas vendo a mesma passar?  Nem pensar. Isso não é viver!! É vegetar!!!

E isso é dose pra mamuuuuuuuuuuuuuuuuuute,rs...

chica


30/03/2018

  º Como podemos justificar a realidade? º


A realidade existe e sempre irá existir pois ela é tudo.

Se algo existe, faz parte da realidade.

Se vivemos em um sonho, a vivemos igualmente, pois nessa caso, o próprio sonho será a realidade.

Se nada existe, ainda assim é a realidade. Nesse caso, ela será  o próprio "nada".
Ela sempre irá existir e será aquilo que existe junto com ela.

Conclusão: A realidade é o que existe. Se nada existe, a realidade é o nada.

NENO

15/03/2018

  º Engolir ou correr riscos? º




"Credo in cruiz"!!!

A vida anda bem esquisita mesmo, não acham?

Na hora de falar, colocar nossos pensamentos, temos que  nos policiar de um modo que por vezes podemos perder a graça, a espontaneidade.

Agir politicamente corretos não é fácil para quem tem como característica a autenticidade!

Tudo hoje em dia é bulling, é racismo, homofobia...

Como gaúcha, só posso dizer e pensar: BARBARIDADE,TCHÊ!!!

Pra que complicar tanto as coisas, tornando a vida mais difícil?

E, se o assunto é política e/ou religião?  Sai de baixo!!!  Melhor engolir pois senão teremos incomodações  pela frente...

 - E será que "engolir" faz bem???

É um tema para  pensar e repensar!!!

Corremos o risco sempre...

O mundo anda  muito cheio de "mimimis"  e cabe à nós a escolha: engolir sapos e pensamentos, causando até uma indigestão e engasgamentos ou  entrar em brigas...

Tá enroscada a coisa, valha-me Senhor!!!

chica


01/03/2018

  º Prioridades º

Há alguns meses, ficamos todos sabendo que algumas empresas estão planejando realizar viagens para Marte, com o intuito de levar pessoas para investir e construir no planeta vermelho. Uma espécie de colonização espacial.

A NASA quer fazer isso desde que o homem foi à lua. A curiosidade move as pessoas e descobrir coisas novas é muito bom.

No entanto, por mais que essa busca por conhecimento faça bem, temos que primeiro pensar no nosso próprio planeta. Antes de investir em Marte, é essencial ajeitar as coisas aqui na Terra.

É muito mais lógico e fácil ajeitar o que há de errado aqui. Investir em outro planeta não faz o menor sentido. Temos que resolver os problemas que existem antes de criar outros.

 A ciência pode esperar. Os cidadãos que enfrentam problemas todos os dias, não!

Neno



15/02/2018

  º Conservas? º



Tantas  vezes nas nossas vidas utilizamos potes de conservas.

Há muito tempo não as faço...Mas tenho belas lembranças de as ver fazer...

Eram escolhidas as frutas ou os vegetais para serem preparados para nos vidros descansar até ficarem no ponto...E esse ponto era bem esperado..

Os pepinos lembro bem, não poderiam ficar muito temperados ou fortes.  Os pêssegos e figos, nem deixávamos  o tempo certo até de esfriar...

Fico pensando neles e a comparação com nossas vidas...
Não nos podemos conservar em potes...Estamos livres!

Não podemos pretender que em contato com o "ar" a cada dia, não soframos nas peles os efeitos das várias poluições...

Importa, no entanto, saber conservar não a "casca", mas o de bom que tivermos nas lembranças e em nossos recheios...

Assim, mesmo fora de vidros, estaremos bem e poderemos dizer que valeu a pena nos guardarmos  e  estarmos por aqui!




06/02/2018

  º O trabalho... º

Nesses últimos meses, me vi muito interessado em economia. Não sei o motivo, só sei que o interesse veio de forma muito natural.

Comecei a pesquisar sobre alguns assuntos na internet e no começo deste ano comprei alguns livros. Entre eles, "A riqueza das nações", de Adam Smith, pai do capitalismo moderno.

Na primeira frase do livro, o autor declara que o trabalho é a forma com a qual as nações suprem as suas necessidades conforme o modo de viver. Tudo é feito a partir do trabalho. Sem ele, nada se cria, nada se desenvolve, nada acontece.

Eu concordo totalmente com a afirmação da obra. O trabalho é o que move o mundo. Dependemos de inúmeras profissões para viver, algumas que nem sabemos que existem. A sociedade se adapta junto com o mercado. Dependemos do trabalho nosso e de outras pessoas.  Como um pacto social.

Todas as profissões são de extrema importância. O indivíduo ganha dinheiro e presta um serviço para os outros. E assim o mundo vai eternamente girando.

Assim, antes de reclamar do cansaço profissional, pense que estás realizando um serviço que vai te dar uma renda e, além disso, é importante para o funcionamento da sociedade. Ela depende de todas as pessoas e de todos as atividades profissionais. Se todos tivessem preguiça, nada iria acontecer.

Neno

04/02/2018

  º Duas cabeças??? º


Chegando e nos apresentando...

Somos vó e neto ... Ambos gostamos de escrever...

A vó chica, escreve tão somente porque gosta. Já Neno, além de gostar, tem a obrigatoriedade na escola...
Por isso, quanto mais exercitar, melhor é , ainda mais que está numa fase bem importante da vida escolar: iniciando o ensino médio.

Portanto, teremos aqui, textos  variados, com a identidade de cada um. Neno bem sério, focado, estudioso...

A vovó, mais simples, sem tanta profundidade,  escrevendo para acompanhar mais esse projeto.

São duas cabeças e de dentro de cada uma delas, virão nossas inspirações,  ou elas chegarão de fora pra dentro e lá se concretizarão.

Assim, esperamos que gostem e a partir de hoje teremos  nossos textos aqui, sempre que der!

Inté !